Negócios com o digital no DNA, startups atendem necessidade específica da sociedade

Analista do Sebrae Paraíba explica principais diferenças entre uma empresa e uma startup

A jornada de uma startup é totalmente diferente da de uma empresa convencional, principalmente por possuir o digital como marca intrínseca, criando uma solução inovadora. A analista técnica do Sebrae Paraíba e gestora do StartPB, Dany Raposo, explicou que uma startup nasce de uma necessidade real de mercado, se diferenciando de uma empresa tradicional, que não precisa criar um novo produto.

O Sebrae Paraíba conta com um conjunto de ações focadas para startups, de acordo com seu estágio, ou seja, ideação, operação e tração. Cerca de 80 startups dos mais diversos segmentos são acompanhadas pela instituição. Segundo explicou a analista Dany Raposo, a ideia desenvolvida pela startup pode se transformar em modelo de negócio após um período de testes e validação. “Startups nascem a partir das novas necessidades ou problemas de clientes que almejam uma solução rápida e inovadora. São negócios escaláveis, porque produzem e entregam em grande escala e têm retorno rápido. Também são repetíveis, porque são facilmente multiplicados em escala para vários clientes, como um aplicativo, por exemplo”, esclareceu.

A analista Dany Raposo afirmou, também, que as startups, por priorizarem o aspecto digital, são ágeis e disruptivas. “No entanto, por colocarem no mercado uma solução inovadora, têm um risco inicial alto e dependem de mudanças rápidas para adequarem as suas estratégias a novos cenários”, destacou, acrescentando que o maior diferencial das startups são as pessoas. “Para manter um negócio inovador, é preciso contar com um time engajado de colaboradores, com uma identificação forte com a cultura da startup. E, acima de tudo, ter pessoas apaixonadas por criar negócios inovadores e com potencial de escalar e dominar o mercado”, salientou.

Conforme afirmou, a empresa tradicional atua em mercados que conhece e que já são consolidados entre o seu público. “Ou seja, ela não precisa criar tudo do zero, já há um público que consome aquele serviço ou produto. A organização tem que se preocupar somente em apresentar um diferencial”, disse Dany Raposo.

Passo a passo – Quem deseja iniciar uma startup não precisa, necessariamente, abrir um CNPJ imediatamente. “O empreendedor começa fazendo a validação do produto ou serviço, organizando o modelo de negócio e desenhando a operação da startup, com custos iniciais muito baixos. Após o período de testes e validação, começa a operação do negócio e a startup só começa a escalar quando encontra o seu “fit to Market”, ou seja, quando está com a operação ‘redondinha’ e alinhada com o mercado”, enumerou Dany Raposo.

Seja na fase de ideação ou inicial, quando estiver construindo o modelo de negócio e interagindo com os clientes, o empreendedor que deseja abrir a startup pode buscar o apoio do Sebrae Paraíba e demais instituições locais que atuam na área.