Empresa paraibana desenvolve equipamento para proteger profissionais de saúde do coronavírus

Atendido pelo Sebrae, empreendimento da construção civil adaptou a produção para se manter ativo no mercado durante a crise

 

Qual a relação que uma empresa especializada no segmento da construção civil e da arquitetura pode ter com as ações de combate e prevenção ao coronavírus? Em um primeiro momento, esses dois universos podem parecer diferentes e muito distantes, pensamento que está sendo desconstruído por uma empresa do município de Patos, no Sertão do estado, que é atendida pelo Sebrae Paraíba e, desde o início da pandemia, já desenvolveu cerca de 20 produtos voltados para a prevenção do coronavírus.

Entre esses produtos, que têm como público-alvo profissionais de saúde, do comércio e, também, a população em geral, ganhou destaque na região uma cápsula criada para proteger médicos, enfermeiros, técnicos e demais trabalhadores da área de saúde durante o atendimento aos pacientes.

De acordo com uma das arquitetas do Grupo Hanna, Alice Nóbrega, a ideia surgiu através da equipe de colaboradores da empresa e contou com a contribuição de profissionais da área de saúde. O equipamento, produzido em acrílico, cria uma barreira entre os atendentes e as vias aéreas do paciente, reduzindo os riscos de contaminação, mas sem comprometer o trabalho dos profissionais de saúde.

“Fizemos uma doação para o SAMU de Patos e já está em pleno uso. Tivemos um ótimo feedback dos profissionais, que nos relataram que após o uso estão se sentindo mais protegidos, pois esta cápsula se torna um equipamento de proteção coletiva e reforça a condição protetiva que eles possuem com seus EPIs (equipamentos de proteção individual)”, explicou Alice, ao destacar que, após a repercussão sobre o produto, a empresa está recebendo pedidos de orçamento de outros municípios.

Conforme a arquiteta, o desenvolvimento desse e dos demais produtos voltados à prevenção do coronavírus foi a forma que a empresa encontrou de se manter ativa no mercado e de contribuir com a sociedade nesse momento de dificuldades.

“Com a paralisação das atividades, em função da ameaça da Covid-19, nosso faturamento reduziu mais de 80%, impactando de forma acentuada no resultado financeiro da empresa, sobretudo em relação a folha de pagamento e ao processo de contas a pagar. Então, identificamos a demanda crescente do mercado público e privado por mecanismos de proteção e prevenção e percebemos que o desenvolvimento de tais soluções eram compatíveis com nosso processo de manufatura industrial, tanto em relação à disponibilidade de matéria-prima, quanto à maquinários e mão de obra qualificada”, explicou Alice Nóbrega.

Ainda falando sobre a decisão de adequar a produção nesse momento de crise, a arquiteta destacou a importância do trabalho desenvolvido pelo Sebrae junto à empresa, através de consultorias. “O Sebrae tem sido um parceiro de primeira hora em nossa empresa. É uma relação que vem se consolidando a cada ano, especialmente neste ciclo de consultoria finalizado em 2019 e que iniciamos agora em 2020. É essa parceria do Sebrae que tem aberto nossa cabeça para ‘olhar no para-brisa e não no retrovisor’. Com esse apoio, nós acreditamos que iremos superar este momento de crise com inovação e muito aprendizado”, afirmou.

Por sua vez, a gerente regional do Sebrae Paraíba em Patos, Anna Stefânia Rodrigues, destacou a necessidade de que os empresários compreendam e possam se adaptar ao novo momento. “Esse período de pandemia requer uma mudança de pensamento dos empresários, com a mente aberta para a inovação, novas tecnologias, buscando se adequar às exigências do mercado consumidor. Diante dessa realidade, o Sebrae continua junto aos empresários nesse processo de mudança de mindset, incentivando novas tecnologias, através de orientações e consultorias, como aconteceu com a empresa em questão”, explicou.