Sebrae Paraíba leva a experiência do estado para Seminário de Turismo Rural, em Fortaleza

Evento acontece nesta quinta-feira (5), dentro da programação do XXII Seminário Nordestino de Pecuária

Nesta quinta-feira (5), a gestora de turismo e economia criativa do Sebrae Paraíba, Regina Lúcia de Medeiros Amorim, apresenta a palestra “Produção Associada ao Turismo Rural” no Seminário de Turismo Rural que compõe a programação do XXII Seminário Nordestino de Pecuária, que acontece até o dia 7 de julho, em Fortaleza (CE).

 

Com o intuito de incentivar essa forma de atuação e ainda apresentar casos reais de como transformar realidades socioeconômicas a partir destas estratégias, Regina Amorim irá falar sobre o atual perfil do turista, capacidade de inovação através de redes de cooperação e reciprocidade, os conceitos de redes locais e regionais, a eficácia da governança territorial, qualificação e sustentabilidade no turismo.

 

Para Amorim, a Paraíba tem muito a contribuir com os demais estados da região. “Com o projeto de turismo rural desenvolvido entre 2012 e 2018, foram mapeadas mais de 150 atividades criativas que levaram à formatação do Roteiro ‘Paraíba 35 dias de Vivências e Experiências’, além dos festivais de turismo que promovem acesso ao mercado para os empreendimentos que compõem a cadeia produtiva”, explica.

 

Segundo publicação elaborada pelo Ministério do Turismo e Sebrae, qualquer produção artesanal, agroindustrial ou agropecuária que detenha atributos naturais e/ou culturais de uma determinada localidade ou região, capazes de agregar valor aos produtos e serviços turísticos compõem a chamada produção associada ao turismo.

 

Nesta perspectiva, Amorim aponta a centralidade de aspectos como a autenticidade e o vínculo do artesanato, da gastronomia, das artes com as características do território no qual estão inseridos. Juntos estes elementos permitem construir uma memória afetiva da experiência vivenciada através do turismo. “No artesanato, por exemplo, o cliente não compra produto. Compra qualidade, beleza, criatividade, inovação e exclusividade.”, acrescenta.

                           

Considerado como fator de desenvolvimento econômico e social, o turismo é uma das áreas que mais apresenta micro e pequenos negócios, cerca de 90% da sua cadeia produtiva, segundo dados do Sebrae. Com base nisso, compreender a complexidade da atividade turística no ambiente rural agrega valor aos produtos e serviços, resgata e ainda promove o patrimônio cultural e natural da comunidade.

 

“Vale a pena repassar essa experiência para outros estados e municípios que queiram também alcançar o nível de desenvolvimento igual ou melhor do que o que temos aqui”, analisa Amorim. De acordo com a gestora, a atuação em conjunto dos atores sociais, políticos e institucionais em prol do desenvolvimento territorial sustentável, é que faz com que os pequenos negócios se adequam as novas expectativas de experiência de consumo e aumentem ainda mais a visibilidade e o acesso dos destinos, serviços e produtos associados ao turismo.  

 

Sobre a palestrante

 

Regina Lúcia de Medeiros Amorim é formada em Economia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), pós-graduada em Gestão e Marketing do Turismo pela Universidade de Brasília (UnB) e Mestre em Visão Territorial Sustentável do Desenvolvimento, pela Universidade de e Universidade Corporativa do Sebrae. Atualmente é responsável pelo projeto de turismo e economia criativa do Sebrae PB.